Archive for ‘Companhia das Ilhas’

24 de Maio de 2015

CASA NOVA

A PARTIR DE ABRIL DE 2015 ESTAMOS AQUI.

home-logo

 

27 de Janeiro de 2015

PEÇA ROMÂNTICA PARA UM TEATRO FECHADO, de Tiago Rodrigues, no Teatro do Bairro (Lx)

PEÇA ROMÂNTICA PARA UM TEATRO FECHADO

de Tiago Rodrigues

Dias 31 Janeiro, 1 e 2 Fevereiro no Teatro do Bairro

 peca romantica espectaculo teatro do bairro

«Escrevi esta peça para oito loucos brasileiros durante quinze dias de ensaios, num projecto efémero e lindo chamado Companhia Provisória, que o No Lugar_ Teatro Ipanema organizou no Rio de Janeiro em 2013. Agora, são uns jovens loucos portugueses que decidiram, com quase nenhuns meios, dar vida a este textinho no palco do Teatro do Bairro, entre 31 de Janeiro e 2 de Fevereiro. Decididamente, esta “Peça Romântica para um Teatro Fechado” é um texto que atrai os seres mais desvairados. Deveria ser usado por psiquiatras de todo o mundo para diagnosticar loucos com talento.»

Tiago Rodrigues

Capa Tiago-Rodrigues-Peça-Rev1

«Num teatro fechado – fechado tanto literal como metaforicamente – um ex-casal (Clara e Fernando) tentam “fechar” a sua relação e remeter os restos da sua relação há muito terminada para o Museu Universal do Esquecimento. Mas nisto, as personagens como que se fragmentam e criam ecos falantes de si próprios.

Apercebemo-nos que estamos mais uma vez a discutir a natureza do acto de criar; e quando pensávamos que falávamos de relações, falávamos também de teatro – essa coisa também ela permanentemente encaminhada para as galerias do Museu Universal do Esquecimento.

É poder pensar que este texto pode voltar a abrir teatros.»

Rui Pina Coelho

 Texto editado pela Companhia das Ilhas.

Disponível em Lisboa nas Livrarias do Teatro Nacional D. Maria II, Letra Livre, Barata, Lx Factory e Pó dos Livros, na Galeria abysmo e nas Lojas FNAC.

1 de Janeiro de 2015

Balanço de 2014, perspectivas para 2015

BALANÇO DE 2014

 Em 2014 publicámos 19 títulos (ordem de saída):

1 – Helder Gomes Cancela: O EXERCÍCIO DA VIOLÊNCIA: A ARTE ENQUANTO TEMPO

2 – Luís Campião: O MENINO DA BURRA

3 – Jorge Aguiar Oliveira: RANÇO

4 – Nuno Dempster: NA LUZ INCLINADA

5 – Fátima Maldonado: LAVA DE ESPERA

6 – Cristina Brito: A VIAGEM SEGUINTE

7 – Marta Freitas: EIS O HOMEM

8 – Henrique M B Fialho: CALL CENTER

9 – Paulo Ramalho: BOCA ABERTA

10 – Manuel Serpa: BOM COMBATE

11 – Carlos Alberto Machado, Hélia Correia, Jaime Rocha, José Mário Silva, Margarida Vale de Gato e Miguel-Manso: POESIA, UM DIA

12 – Jácome Armas: CONJUNTO HOMEM

13 – Nuno Costa Santos (dir.): transeatlântico (número zero)

14 – Jorge Palinhos: PARKING; Tiago Patrício: DESMATERIALIZAÇÃO

15 – Onésimo Teotónio Almeida: MINIMA AZORICA. O MEU MUNDO É DESTE REINO

16 – Paulo da Costa Domingos: A MORTE DOS OUTROS

17 – Carlos Alberto Machado: TEATRO REUNIDO (2000-2010)

18 – José Alberto Ferreira: Dos Autores formigueyros. 1: Elementos para uma leitura crítica da ‘escola vicentina’

19 – António Conde: Fresco Bruegeliano. Dez estudos e um ensaio sobre dramaturgias portuguesas entre 1990 e 2010

Destes, 5 são de ensaio, 4 de poesia, 4 de teatro, 3 de crónica, 2 de ficção e 1 revista.

Cinco das 19 edições foram realizadas em parceria: EIS O HOMEM (Mundo Razoável); POESIA, UM DIA (Biblioteca de Vila Velha de Ródão); transeatlântico (DR Cultura/Açores); PARKING/DESMATERIALIZAÇÃO (Teatro Meridional/Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa); Fresco Bruegeliano (CHAIA da Universidade de Évora).

TEATRO REUNIDO (2000-2010) de Carlos Alberto Machado foi uma das escolhas do ano (20 títulos) da crítica Maria da Conceição Caleiro (Ípsilon/Público); o crítico Manuel de Freitas (Atual/Expresso) escolheu como um dos 10 melhores de 2014 o LAVA DE ESPERA, de Fátima Maldonado.

Alguns autores que publicaram na Companhia das Ilhas foram distinguidos por outros livros noutras editoras nos balanços críticos do ano: Pedro Eiras, Tiago Patrício e Valério Romão.

Os nossos leitores e amigos tiveram a gentileza de destacar vários dos nossos livros nas suas escolhas publicadas em vários espaços na internet.

Tivemos mais livrarias a acolher os nossos livros.

 PERSPECTIVAS PARA 2015

Continuarmos.

30 de Dezembro de 2014

MELHORES DE 2014: Manuel de Freitas escolhe LAVA DE ESPERA, de FÁTIMA MALDONADO

Manuel de Freitas escolheu LAVA DE ESPERA, de FÁTIMA MALDONADO (Companhia das Ilhas, 2014) como um dos 10 melhores livros de 2014 (Expresso/Atual, 27-12-2014)

Freitas_melhores 2014 - Maldonado

24 de Dezembro de 2014

TEATRO REUNIDO (2000-2010), de Carlos Alberto Machado, nas escolhas do ano do Ípsilon/Público

O TEATRO REUNIDO (2000-2010), de Carlos Alberto Machado, que editámos em Novembro, é uma das escolhas do ano do Ípsilon/Público, pela crítica Maria da Conceição Caleiro.

Carlos-Alberto-Machado-TEATRO-REUNIDO_978-989-8592-54-5

18 de Dezembro de 2014

Continuar

Cabecalho_FB_BOM CAMINHO

7 de Dezembro de 2014

José Mário Silva sobre A MORTE DO OUTROS

A MORTE DOS OUTROS- jm silva exp-2014-12-06Recensão de José Mário Silva sobre o livro A MORTE DO OUTROS, de Paulo da Costa Domingos (Companhia das Ilhas, 2104) – Expresso/Atual de 6 de Dezembro de 2014.

6 de Dezembro de 2014

Fernando Guimarães sobre Boca Aberta

BOCA-ABERTA_F-Guimaraes_JL_2014-11-12

Fernando Guimarães, sobre o livro de poemas BOCA ABERTA, de Paulo Ramalho (Companhia das Ilhas, Julho de 2014), in JL, 12 de Novembro de 2014

1 de Dezembro de 2014

ONÉSIMO TEOTÓNIO ALMEIDA REGRESSA COM MINIMA AZORICA

O novo livro de Onésimo Teotónio Almeida, “Minima Azorica. O meu mundo é deste reino”, traz o escritor, ensaísta e académico de Brown, Providence, EUA, à sua terra natal, os Açores, a convite da Companhia das Ilhas, que edita o livro. Entre 8 e 11 de Dezembro, estará, pois, nas ilhas do Fail, Pico, Terceira e S. Miguel para a apresentação da sua obra.

Capa_Onesimo_REV5“Minima Azorica” é uma recolha de textos dos últimos vinte e cinco anos do autor, na sequência de “Açores, Açorianos, Açorianidade”, prolongando reflexões e abrindo espaço para outras. Os Açores estão sempre presentes na escrita ensaística de Onésimo Teotónio Almeida, emergindo de modo constante e teimoso como a vegetação que brota dos interstícios de tudo na ilha.

ONESIMO-FOTO-CONTRACAPANatural do Pico da Pedra (n. 18.12.1946), Onésimo Teotónio Almeida estudou no Seminário de Angra do Heroísmo, bacharelou-se na Universidade Católica de Lisboa. Desde 1972 nos Estados Unidos, fez mestrado e doutoramento em Filosofia na Brown University, onde é catedrático no Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros (foi seu director durante doze anos), no Wayland Collegium for Liberal Learning Renaissance and Early Modern Studies da mesma universidade, leccionando cursos interdisciplinares sobre valores e história cultural e das ideias.

Além de vários livros de ensaios, tem centenas de artigos dispersos que ultimamente tem reunido em volumes temáticos: “De Marx a Darwin – a desconfiança das ideologias” (2009, Prémio Seeds of Science 2010 para Ciências Sociais e Humanidades), “O Peso do Hífen. Ensaios sobre a experiência luso-americana” (2010) e “Pessoa, Portugal e o Futuro” (2014). Publicou ainda “Utopias em Dói Menor – Conversas transatlânticas com Onésimo”, conduzidas por João Maurício Brás (Gradiva, 2012).

No género de crónica e conto, as suas mais recentes colectâneas são “Quando os Bobos Uivam” (Clube do Autor, 2013), “Aventuras de um Nabogador – Estórias em Sanduíche” (Bertrand, 2007) e “Livro-me do Desassossego” (Temas e Debates, 2006). “Onésimo. Português Sem Filtro” (Clube do Autor, 2011) é uma antologia de cinco livros esgotados.

Colaborador permanente do Jornal de Letras, é membro da Academia Internacional de Cultura Portuguesa e da Academia da Marinha e Doutor Honoris Causa pela Universidade de Aveiro.

 APRESENTAÇÕES EM DEZEMBRO, COM A PRESENÇA DO AUTOR:

# Seg. 8, 21 horas, HORTA, Auditório da Biblioteca Pública, apresentação de Vitor Rui Dores.

# Ter. 9, 20.30 horas, MADALENA DO PICO, Escola Cardeal Costa Nunes, apresentação de Manuel Tomás.

# Qua. 10, 18 horas, ANGRA DO HEROÍSMO, Auditório do Museu de Angra, apresentação de Álamo Oliveira.

# Qui. 11, 18.30 horas, PONTA DELGADA, Livraria Solmar, apresentação de Vamberto Freitas.

 MINIMA AZORICA. O meu mundo é deste reino, de Onésimo Teotónio Almeida, é a 45ª edição da Companhia das Ilhas, colecção transeatlântico # 10, série especial # 001, com 232 páginas, formato 14×22 cm, 1ª edição de Novembro de 2014, com PVP de 15 euros.

26 de Novembro de 2014

Domingo brasileiro no Paralelo W

Capa_Maffei_REV2O poeta e ensaísta Gastão Cruz apresentou o livro de poemas “Signos de Camões”, do poeta brasileiro Luis Maffei (ed. Companhia das Ilhas, 2013).

CarlosA_Machado__CAPA2.inddO ensaísta brasileiro Maurício Sales Vasconcelos (Universidade de São Paulo), apresentou a antologia poética de Carlos Alberto Machado editada pela carioca Oficina Raquel, nº 7 da colecção Portugal 0 (zero), com selecção de Luis Maffei e prefácio de Maurício Sales Vasconcelos.

Aconteceu tudo no Domingo 23 de Novembro, no Paralelo W, em Lisboa.  Gastao apresenta signos de camoesMauricio apresenta antologia portugal zero

14 de Novembro de 2014

Agenda Companhia das Ilhas . Novembro de 2014

Agenda Companhia das Ilhas . Novembro de 2014

AGENDA-Nov-14-COMPANHIA-DAS-ILHAS

13 de Novembro de 2014

Teatro de Carlos Alberto Machado no Meridional

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA OBRA TEATRO REUNIDO (2000-2010), de Carlos Alberto Machado

 2ª FEIRA 17/11 | 18H00 | LISBOA  |  Teatro Meridional. Apresentação de Eugénia Vasques. Participação do autor. Leituras por Natália Luiza e Miguel Seabra.

[ Rua do Açúcar, 64 – Beco da Mitra – Poço do Bispo- LISBOA – GPS: 38.737780,-9.103514 – TELS: 91 999 12 13 – 91 804 66 31 – 21 868 92 45 – Email: geral@teatromeridional.net ]

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Em TEATRO REUNIDO (2000-2010) de Carlos Alberto Machado estão reunidas 13 peças de teatro: “Os nomes que faltam”, “Ficava tão bem naquele canto da sala”, “A Felicidade Ideal”, “Transportes & Mudanças”, “Avesso”, “Restos. Interiores”, “Aquitanta”, “Hamlet & Ofelia”, “Ponho palavras na minha cabeça”, “5 cervejas para o Virgílio”, “Os Bravos do Kosovo”, “Hoje não há música” e “O sentido da vida”. Destes, 8 foram encenados.

«São dez anos de teatro – os primeiros dez anos do novo milénio – que surgem pela pena de um autor que cresceu na segunda metade do século XX e que chega a este novo milénio carregando o peso de um século aparentemente extinto (a guerra no Kosovo, a sida, as drogas, a solidão urbana – parecem coisas extintas – mas surgem aqui com inusitado fulgor).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”.

Carlos-Alberto-Machado-TEATRO-REUNIDO_978-989-8592-54-5

CARLOS ALBERTO MACHADO

«Carlos Alberto Machado (n. 18-11-1954), licenciado em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Sociologia da Comunicação e Cultura pelo ISCTE, em Lisboa, é uma das vozes mais singulares da actual literatura dramática portuguesa. Autor de um relevante corpus, tem vindo a compor uma obra de uma extraordinária variedade. Professor, dinamizador cultural, editor, ensaísta, poeta, dramaturgo e encenador, tem tratado a matéria teatral de uma forma extraordinariamente plural. Foi professor de teoria e investigação nas Licenciaturas em Teatro da Universidade de Évora e da Escola Superior de Teatro e Cinema e tem promovido diversas oficinas de escrita, em diferentes contextos. Como autor e editor, colaborou com várias revistas, entre as quais a Sete Palcos, Adágio, Belém, Periférica, Boca de Incêndio e Telhados de Vidro, sendo também co-director da revista Magma. É autor de importantes ensaios de crítica e história do teatro – tais como “Teatro da Cornucópia: As Regras do Jogo” (Frenesi, 1999), “Centro Dramático de Évora: 25 Anos em Cena – CCE/CENDREV 1975-2000” (Cendrev, 2000); e, ainda no domínio do ensaio sobre a história do teatro em Portugal, participou também em importantes obras de referência: “Fragmentos da Memória. Teatro Independente em Portugal – 1974-1994” (Acarte, 1994), “José Manuel Castanheira. Scénographies 1973-1993” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993) e “José Manuel Castanheira. Une Ruine en Construction” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993). Como poeta tem sido integrado em várias antologias ou publicado autonomamente, por importantes editoras tais como a Assírio & Alvim, Averno, & etc e abysmo, ou, claro, a sua Companhia das Ilhas (que fundou, na ilha do Pico, com Sara Santos, em 2012).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”. 

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Carlos Alberto Machado

Prefácio de Rui Pina Coelho

Edição: Companhia das Ilhas

Colecção azulcobalto | teatro 009

1ª edição: Novembro de 2014

ISBN: 978-989-8592-54-5

14×22 cm

384 Páginas

PVP: 17 euros

12 de Novembro de 2014

Teatro de Carlos Alberto Machado na Livraria Poetria

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA OBRA TEATRO REUNIDO (2000-2010), de Carlos Alberto Machado

 5ª FEIRA 20/11 | 18H00 | PORTO  |AUDITÓRIO AXA, com organização da Livraria Poetria. Apresentação de Jorge Louraço Figueira. Participação do autor. Leituras.

[ Auditório AXA: Praça 9 de Abril, 76 – Porto – Tels:  937 631 900 – 935 239 027 || Poetria: Rua das Oliveiras, 70 R/C, Loja 12 – Porto – Tel: 222 023 071 – GPS: Latitude: 41.046216814520626 | Longitude: -8.5693359375 – Email: livraria.poetria@gmail.com ]

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Em TEATRO REUNIDO (2000-2010) de Carlos Alberto Machado estão reunidas 13 peças de teatro: “Os nomes que faltam”, “Ficava tão bem naquele canto da sala”, “A Felicidade Ideal”, “Transportes & Mudanças”, “Avesso”, “Restos. Interiores”, “Aquitanta”, “Hamlet & Ofelia”, “Ponho palavras na minha cabeça”, “5 cervejas para o Virgílio”, “Os Bravos do Kosovo”, “Hoje não há música” e “O sentido da vida”. Destes, 8 foram encenados.

«São dez anos de teatro – os primeiros dez anos do novo milénio – que surgem pela pena de um autor que cresceu na segunda metade do século XX e que chega a este novo milénio carregando o peso de um século aparentemente extinto (a guerra no Kosovo, a sida, as drogas, a solidão urbana – parecem coisas extintas – mas surgem aqui com inusitado fulgor).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”.

Carlos-Alberto-Machado-TEATRO-REUNIDO_978-989-8592-54-5

CARLOS ALBERTO MACHADO

«Carlos Alberto Machado (n. 18-11-1954), licenciado em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Sociologia da Comunicação e Cultura pelo ISCTE, em Lisboa, é uma das vozes mais singulares da actual literatura dramática portuguesa. Autor de um relevante corpus, tem vindo a compor uma obra de uma extraordinária variedade. Professor, dinamizador cultural, editor, ensaísta, poeta, dramaturgo e encenador, tem tratado a matéria teatral de uma forma extraordinariamente plural. Foi professor de teoria e investigação nas Licenciaturas em Teatro da Universidade de Évora e da Escola Superior de Teatro e Cinema e tem promovido diversas oficinas de escrita, em diferentes contextos. Como autor e editor, colaborou com várias revistas, entre as quais a Sete Palcos, Adágio, Belém, Periférica, Boca de Incêndio e Telhados de Vidro, sendo também co-director da revista Magma. É autor de importantes ensaios de crítica e história do teatro – tais como “Teatro da Cornucópia: As Regras do Jogo” (Frenesi, 1999), “Centro Dramático de Évora: 25 Anos em Cena – CCE/CENDREV 1975-2000” (Cendrev, 2000); e, ainda no domínio do ensaio sobre a história do teatro em Portugal, participou também em importantes obras de referência: “Fragmentos da Memória. Teatro Independente em Portugal – 1974-1994” (Acarte, 1994), “José Manuel Castanheira. Scénographies 1973-1993” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993) e “José Manuel Castanheira. Une Ruine en Construction” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993). Como poeta tem sido integrado em várias antologias ou publicado autonomamente, por importantes editoras tais como a Assírio & Alvim, Averno, & etc e abysmo, ou, claro, a sua Companhia das Ilhas (que fundou, na ilha do Pico, com Sara Santos, em 2012).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”. 

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Carlos Alberto Machado

Prefácio de Rui Pina Coelho

Edição: Companhia das Ilhas

Colecção azulcobalto | teatro 009

1ª edição: Novembro de 2014

ISBN: 978-989-8592-54-5

14×22 cm

384 Páginas

PVP: 17 euros

11 de Novembro de 2014

Teatro de Carlos Alberto Machado na Livraria de Miguel de Carvalho

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA OBRA TEATRO REUNIDO (2000-2010), de Carlos Alberto Machado

6ª FEIRA 21/11 | 18H00 | COIMBRA  | Livraria de Miguel de Carvalho | Apresentação de Fernando Matos Oliveira. Participação do autor. Leituras.

[ Adro de Baixo, 6, Coimbra – Tels: 239826014 – 968079282 – Email: miguel-carvalho@livro-antigo.com ]

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Em TEATRO REUNIDO (2000-2010) de Carlos Alberto Machado estão reunidas 13 peças de teatro: “Os nomes que faltam”, “Ficava tão bem naquele canto da sala”, “A Felicidade Ideal”, “Transportes & Mudanças”, “Avesso”, “Restos. Interiores”, “Aquitanta”, “Hamlet & Ofelia”, “Ponho palavras na minha cabeça”, “5 cervejas para o Virgílio”, “Os Bravos do Kosovo”, “Hoje não há música” e “O sentido da vida”. Destes, 8 foram encenados.

«São dez anos de teatro – os primeiros dez anos do novo milénio – que surgem pela pena de um autor que cresceu na segunda metade do século XX e que chega a este novo milénio carregando o peso de um século aparentemente extinto (a guerra no Kosovo, a sida, as drogas, a solidão urbana – parecem coisas extintas – mas surgem aqui com inusitado fulgor).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”.

Carlos-Alberto-Machado-TEATRO-REUNIDO_978-989-8592-54-5

CARLOS ALBERTO MACHADO

«Carlos Alberto Machado (n. 18-11-1954), licenciado em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Sociologia da Comunicação e Cultura pelo ISCTE, em Lisboa, é uma das vozes mais singulares da actual literatura dramática portuguesa. Autor de um relevante corpus, tem vindo a compor uma obra de uma extraordinária variedade. Professor, dinamizador cultural, editor, ensaísta, poeta, dramaturgo e encenador, tem tratado a matéria teatral de uma forma extraordinariamente plural. Foi professor de teoria e investigação nas Licenciaturas em Teatro da Universidade de Évora e da Escola Superior de Teatro e Cinema e tem promovido diversas oficinas de escrita, em diferentes contextos. Como autor e editor, colaborou com várias revistas, entre as quais a Sete Palcos, Adágio, Belém, Periférica, Boca de Incêndio e Telhados de Vidro, sendo também co-director da revista Magma. É autor de importantes ensaios de crítica e história do teatro – tais como “Teatro da Cornucópia: As Regras do Jogo” (Frenesi, 1999), “Centro Dramático de Évora: 25 Anos em Cena – CCE/CENDREV 1975-2000” (Cendrev, 2000); e, ainda no domínio do ensaio sobre a história do teatro em Portugal, participou também em importantes obras de referência: “Fragmentos da Memória. Teatro Independente em Portugal – 1974-1994” (Acarte, 1994), “José Manuel Castanheira. Scénographies 1973-1993” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993) e “José Manuel Castanheira. Une Ruine en Construction” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993). Como poeta tem sido integrado em várias antologias ou publicado autonomamente, por importantes editoras tais como a Assírio & Alvim, Averno, & etc e abysmo, ou, claro, a sua Companhia das Ilhas (que fundou, na ilha do Pico, com Sara Santos, em 2012).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”. 

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Carlos Alberto Machado

Prefácio de Rui Pina Coelho

Edição: Companhia das Ilhas

Colecção azulcobalto | teatro 009

1ª edição: Novembro de 2014

ISBN: 978-989-8592-54-5

14×22 cm

384 Páginas

PVP: 17 euros

10 de Novembro de 2014

Teatro de Carlos Alberto Machado na Livraria Fonte de Letras

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DA OBRA TEATRO REUNIDO (2000-2010), de Carlos Alberto Machado

2ª FEIRA 24/11 | 18H00 | ÉVORA  | Livraria Fonte de Letras | Apresentação de Rui Pina Coelho. Participação do autor. Leituras.

 [ Rua 5 de Outubro, 51 – Évora – Tel: 266 899 855 – Email: fontedeletras@gmail.com ]

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Em TEATRO REUNIDO (2000-2010) de Carlos Alberto Machado estão reunidas 13 peças de teatro: “Os nomes que faltam”, “Ficava tão bem naquele canto da sala”, “A Felicidade Ideal”, “Transportes & Mudanças”, “Avesso”, “Restos. Interiores”, “Aquitanta”, “Hamlet & Ofelia”, “Ponho palavras na minha cabeça”, “5 cervejas para o Virgílio”, “Os Bravos do Kosovo”, “Hoje não há música” e “O sentido da vida”. Destes, 8 foram encenados.

«São dez anos de teatro – os primeiros dez anos do novo milénio – que surgem pela pena de um autor que cresceu na segunda metade do século XX e que chega a este novo milénio carregando o peso de um século aparentemente extinto (a guerra no Kosovo, a sida, as drogas, a solidão urbana – parecem coisas extintas – mas surgem aqui com inusitado fulgor).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”.

Carlos-Alberto-Machado-TEATRO-REUNIDO_978-989-8592-54-5

CARLOS ALBERTO MACHADO

«Carlos Alberto Machado (n. 18-11-1954), licenciado em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Sociologia da Comunicação e Cultura pelo ISCTE, em Lisboa, é uma das vozes mais singulares da actual literatura dramática portuguesa. Autor de um relevante corpus, tem vindo a compor uma obra de uma extraordinária variedade. Professor, dinamizador cultural, editor, ensaísta, poeta, dramaturgo e encenador, tem tratado a matéria teatral de uma forma extraordinariamente plural. Foi professor de teoria e investigação nas Licenciaturas em Teatro da Universidade de Évora e da Escola Superior de Teatro e Cinema e tem promovido diversas oficinas de escrita, em diferentes contextos. Como autor e editor, colaborou com várias revistas, entre as quais a Sete Palcos, Adágio, Belém, Periférica, Boca de Incêndio e Telhados de Vidro, sendo também co-director da revista Magma. É autor de importantes ensaios de crítica e história do teatro – tais como “Teatro da Cornucópia: As Regras do Jogo” (Frenesi, 1999), “Centro Dramático de Évora: 25 Anos em Cena – CCE/CENDREV 1975-2000” (Cendrev, 2000); e, ainda no domínio do ensaio sobre a história do teatro em Portugal, participou também em importantes obras de referência: “Fragmentos da Memória. Teatro Independente em Portugal – 1974-1994” (Acarte, 1994), “José Manuel Castanheira. Scénographies 1973-1993” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993) e “José Manuel Castanheira. Une Ruine en Construction” (Centre Georges Pompidou/Nobilis, 1993). Como poeta tem sido integrado em várias antologias ou publicado autonomamente, por importantes editoras tais como a Assírio & Alvim, Averno, & etc e abysmo, ou, claro, a sua Companhia das Ilhas (que fundou, na ilha do Pico, com Sara Santos, em 2012).»

Rui Pina Coelho, do “Prefácio”. 

TEATRO REUNIDO (2000-2010)

Carlos Alberto Machado

Prefácio de Rui Pina Coelho

Edição: Companhia das Ilhas

Colecção azulcobalto | teatro 009

1ª edição: Novembro de 2014

ISBN: 978-989-8592-54-5

14×22 cm

384 Páginas

PVP: 17 euros