Luiza Neto Jorge – poemas (005)

5 POEMAS PARA A NOITE INVARIÁVEL

V

Desgrenho cada minuto calmo –

basta de tranças imóveis dobadas sobre mim

caules rectilíneos de flores de pedra

 

Quebro os tabus de vidro

na beira dos passeios

febril como as pedras prenhes de evasão

 

e agonio-me de perigos escondidos

a terra imprevista sob a terra

o mar imprevisto sobre o mar

 

Beijo as espáduas do espaço

desfeito

Poesia. Lisboa. Assírio & Alvim. 1993.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s