Luiza Neto Jorge – poemas (004)

5 POEMAS PARA A NOITE INVARIÁVEL

IV

Gasto-me à espera da noite

impraticável

 

fiel

sugo os lábios da noite

 

invariável acaio

nos poços da noite

 

Gasto-me à espera da noite alheia

amassada de gargalhadas doves e areia

 

Amor anoitecido vem

tecer-me um vestido

nocturno

 

Atraiçooo os anúncios luminosos

até a lua nova sabe a ausente

– e eu anavalhei-te com naifas de ansiedade –

 

Estou à espera da noite contigo

venham as pontes ruindo sob os barcos

venham em rodas de sol

os montes os túneis e deus

 

estou à espera da noite contigo

livre de amor e de ódio

livre

sem o cordão umbilical da morte

livre da morte

 

estou

à espera

da noite

Poesia. Lisboa. Assírio & Alvim. 1993.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s