Luiza Neto Jorge – poemas (002)

5 POEMAS PARA A NOITE INVARIÁVEL

II

Em cada braço uma herança de horizonte

desde o naufrágio de um eco

em cada árvore

trago-me no sol

à hora dos contornos

no sol a voz

é mais difícil

o tempo mais ausente

trago um filho

que parte o caule às estrelas

é louco e sofre

e parte o caule às estrelas

Tragicamente o sol

põe luz nos braços

A morte é uma feira aberta em lua

Poesia. Lisboa. Assírio & Alvim. 1993.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s