Luísa Freire – poemas (002)

2

Só vemos o ver distanciado

quando o fintar já fintou

(da água e do trigo cresce o pão)

 

os olhos com que vemos e a

visão.

O tempo de perfil. Obra poética 1980-2005. Lisboa. Assírio & Alvim. 2009.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s