Manuel de Freitas – poemas (001)

ESTUDOS CAMONIANOS

Estavas linda, Inês, e Camões

decerto não se importará

se eu disser que tinhas

posta no lugar a carne inteira

do meu futuro desassossego.

Aos poucos vai o corpo apodrecendo,

gentil da terra furor de que esquecemos

notícia e lastro, entretidos a morrer

por novas avenidas velhas

que cm breve nos não verão mais,

apartados pela vidinha.

Mas estavas tu linda, Inês,

alheia ou talvez nem tanto

ao cego conhecido engano

que por vezes se dissipa

antes mesmo de existir.

Game Over. Lisboa. & etc. 2002.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s